Ação pede indenização por falta de energia em Iranduba e Manacapuru

Amazonas – Em decorrência da falta de energia elétrica nos municípios de Iranduba e Manacapuru, desde a última sexta-feira (19), o vice-presidente da Comissão de Obras, Patrimônio e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa do Amazonas (CGESP/AM), deputado Álvaro Campelo (Progressistas), em conjunto com a Comissão de Defesa do Consumidor da OAB-AM e Câmaras de vereadores dos dois municípios ingressaram com uma Ação Civil Pública (ACP) contra a Amazonas Energia.

A medida, anunciada na tarde desta terça-feira (23), solicita o pronto restabelecimento da energia elétrica nos municípios afetados, além da indenização pelos prejuízos causados à população nesses quatro dias de ‘apagão’. A ACP solicita que a concessionária tome providências imediatas para restabelecer o fornecimento de energia elétrica, com a garantia de que não haverá novos problemas. A ação também pede, a título de indenização, R$ 20 milhões pelos prejuízos causados a quase 200 mil consumidores.

De acordo com Álvaro Campelo, o Código de Defesa do Consumidor e o Código Civil asseguram a indenização aos usuários da concessionária. “Já são mais de 110 horas sem energia em Iranduba e Manacapuru e a Amazonas Energia tem que se responsabilizar pelos danos materiais e morais que está causando a todos esses moradores. Além disso, também estamos pedindo à justiça que, nos próximos três meses, todos os afetados fiquem isentos do pagamento de suas faturas. Isso é o mínimo que a empresa pode fazer por essas pessoas que estão passando por uma situação absurda, que se assemelha ao caos da Venezuela”, finalizou o deputado progressista.

Para o presidente da OAB/AM, Marco Aurélio Choy, a iniciativa em defesa do consumidor amazonense representa segurança à população. “Parabenizo a união da OAB com a Assembleia Legislativa, na figura do deputado Álvaro Campelo, juntamente com as Câmaras Municipais de Iranduba e Manacapuru, em defesa do povo. Esperamos uma reposta positiva desta ação, no sentido de que se determine que a Amazonas Energia tome medidas imediatas pra sanar esse transtorno que está acontecendo há dias com a população desses municípios”, disse Choy.

A interrupção foi ocasionada rompimento de um cabo subaquático que fica a 50 metros do Rio Negro. O caso provocou protestos nos municípios no último fim de semana que, além da falta de energia elétrica, sofrem com a suspensão do abastecimento de água, serviços de telefonia e a precariedade no atendimento médico.

Além de Álvaro Campelo, assinaram a ação o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas, Josué Neto (PSD), o presidente da OAB Amazonas, Marco Aurélio Choy, o vice-presidente da Comissão do Consumidor da OAB-AM, Giordano Cezar e os vereadores Alexandre Karbajal, de Iranduba, e Tchuco Benício (PTC), de Manacapuru.

Anúncios