Peritos pedem apoio do Legislativo para pagamento de data-base

Durante sessão plenária da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALEAM), na manhã desta segunda-feira (15), o deputado estadual, Álvaro Campelo (PP) recebeu representantes do Sindicato dos Peritos Oficiais do Estado do Amazonas (Sinpoeam), que solicitaram a interferência do parlamentar para o pagamento da data-base pelo Governo do Estado.

Segundo o membro da Sinpoeam, Marcelo Muratore, apenas os delegados foram incluídos nos planos do governo, deixando de lado peritos, escrivães e demais servidores. “Essa não é a primeira vez que somos esquecidos pelo Governo. Em 2014, fomos a única categoria da Polícia Civil que ficou de fora do escalonamento salarial pago aos outros profissionais de 2015 a 2018. Sendo corrigido apenas no governo do Amazonino, quando garantiu a reposição salarial da classe” disse Muratore.

Marcelo ressaltou a importância da participação do deputado Álvaro Campelo, assim como outros deputados no apoio da solicitação. “O Legislativo tem o conhecimento necessário para corrigir esse problema e assegurar melhores garantias a esse serviço essencial para a população”, destacou o perito criminal.

Para Campelo, o trabalho desenvolvido pelos peritos do Amazonas precisa ter a valorização necessária e adequada. “A categoria é estratégica para o sistema de Segurança Pública no Estado do Amazonas e, por esse motivo, me prontifico a participar efetivamente da intermediação junto ao Poder Executivo das demandas da categoria” garantiu Álvaro Campelo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.